Porto Central recebe autorização de órgãos federais para iniciar obras

Página Principal / Blog / Porto Central recebe autorização de órgãos federais para iniciar obras
22Mar

Porto Central recebe autorização de órgãos federais para iniciar obras

Ministério dos Transportes e Antaq assinaram documento que dá aval para a construção do porto em Presidente Kennedy

 

Publicado em 21/03/2017 às 20h56

Beatriz Seixas

Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Projeto de Porto Central: capacidade para navios com até 20 metros de profundidade

Foto: Arquivo

 

Mais uma etapa para que o Porto Central, em Presidente Kennedy, saia do papel foi superada nesta terça-feira (21). O empreendimento recebeu a autorização de órgãos do governo federal para iniciar a construção. Foi assinado, em Brasília, pelo ministro dos Transportes, Portos e Aviação Civil, Fernando Filho, e pelo diretor-geral da Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq), Adalberto Tokarski, um documento chamado de Contrato de Adesão, que dá o aval para as obras serem iniciadas.

Agora, para o empreendimento deslanchar ainda é preciso a aprovação, por parte do Ibama, da Licença de Instalação (LI), que, segundo o subsecretário de Estado de Logística, Transporte e Comércio Exterior, Neucimar Fraga, deve sair dentro dos próximos 30 dias. “Foi o próprio ministro do Meio Ambiente, Sarney Filho, quem nos garantiu”, disse o representante do governo do Estado, que também participou da reunião em Brasília.

De acordo Fraga, a expectativa é que após ter a LI em mãos, os investidores da empresa - formada pelo Porto de Roterdã e pela TPK Logística – iniciem as obras em 10 meses, ou seja, no início de 2018. “O empreendedores já sinalizaram inclusive que têm a empresa contratada para iniciar os trabalhos”, observou.

O subsecretário destacou que o investimento no porto – da ordem de R$ 5 bilhões – vai incluir o Espírito Santo definitivamente na rota internacional dos grandes navios, principalmente os de carga geral. “Isso irá baratear o frete e aumentar a competitividade do Espírito Santo frente a outros concorrentes. Além disso, o porto vai gerar mais empregos, renda e receita para os municípios do entorno e o Estado como um todo. Essa é uma obra muito importante, afinal investir em infraestrutura é investimento na veia da competitividade e das atividades de comércio exterior do Estado.”

Durante a agenda em Brasília, também estiveram presentes representantes da bancada capixaba e os diretores do Porto Central, José Salomão Fadlalah e Edwin van Espen. Para Edwin van Espen, COO do Porto Central, a autorização do governo “é um marco importantíssimo para o projeto, fortalece nosso compromisso com o mercado e com o Brasil para desenvolver uma solução logística confiável e eficiente”.

Paralelamente aos trâmites ligados às autorizações para a construção do porto, os representantes da empresa seguem com as negociações, tanto com investidores nacionais quanto internacionais, de alguns setores do porto, como o terminal de líquidos, GNL, carga geral e grãos. A expectativa é que o empreendimento, de cerca de R$ 5 bilhões, inicie as operações entre 2019 e 2020.

O porto

O Porto Central é um complexo portuário multiuso, sob regime condominial, de águas profundas e de classe mundial, com infraestrutura para atender empresas industriais e de serviços que dão suporte à indústria do petróleo e, também, para a operação de contêineres, granéis sólidos e líquidos, carga geral e veículos. Durante a obra, o empreendimento deve contratar 4,7 mil pessoas.

 Fonte: Gazeta Online